Monday, 25 December 2017

The Celebration of Christ

It's Christmas again.

It took me almost 27 years and a series of life events to make me realize the importance of Christmas and why it is celebrated on this day.

It as nothing to do with Jesus having been born on this day, as now we all know He was not. However, it is a good time to think of Him.

His whole life purpose on this Earth was to show us the way to Light and to make us remember the Light that is God that is inside us and everyone, for we are all connected. We are all children of God and thus His Light lives within us.

However, feeling that light within can be hard at times. Specially when the days are darker. Isn't it a beautiful life metaphor that we celebrate Light on the darkest days of the year, right around Winter's equinoccio? It is no coincidence.

It's when times are darker that seeing the light becomes even more essential to our lives. For millennia we have been making offerings to a God on this day, even before Jesus. Making offering is one of the ways we have to show our appreciation. Those offering are still pretty much the same: food and gifts.

Nowadays however, we give these offerings to each other. It's a way (although not the most important) to show our appreciation and love for each other. It's a way of saying, "the light in me sees the light in you".

Is there a better gift than, when your days get darker (emotionally), to see yourself surrounded by people who see your light? Is there a better gift than to remember that, even on your darkest days, you are light? To know that as you are light, no darkness will ever last?


Christmas is a celebration of Light during the darkest days of the year. Is there a life metaphor more beautiful than that?

The Law Of Attraction tells us to do exactly that... To celebrate what we are wanting even before we see it; to believe it is coming even though nothing indicates it is... Specially when nothing indicates it is... We have been doing that every year, for thousands of years, on this day, since the times when darkness and harsh weather were our biggest adversaries.

Only now most of us call it Christmas.

Happy Light day!
May the Light of your Flame ignite others.
May yours be ignited.

Wish vs Desire

A wish is something you wish upon a star...
A wish is something you pass onto a dandelion and let the wind carry it away...
A wish is something you can let go...

Wishes are what dreams are made of.


A desire however...

A desire is something that grows inside of you...
A desire is something you can't let go... No matter how hard you try...
A desire is strong.

Desires are what reality is made of.
For they control you and guide your life choices.

No matter how hard you have to fight for it, the desire will keep you going, keep you trying until you eventually succeed. A desire is so deeply rooted into who you are that it will become impossible to live without it. A desire you feel with all your senses and all of who you are, mind, body and soul.

While a Wish you know comes from you, a Desire feels like it comes from some place deeper within you. It is yours and yet it is so much more... It is intimately connected to your true identity and, ultimately, your life purpose.

Some people are dreamers, for they dream more than they desire, and that's okay.
Successful people however, though they might dream, desire even more.

Ask yourself, what is it that you desire?




Monday, 13 February 2017

Novas Experiências

Sabem aquelas "ideias malucas" que por vezes os outros têm? Às vezes têm razão... 

Uma das "ideias malucas" que tenho ouvido falar já há alguns meses, é a de que beber água do mar faz bem. Beber assim mesmo, diretamente do mar. Ou misturada com água normal, ou com sumos, ou mesmo na água de cozinhar os alimentos. Dizem que é a água mais mineral de todas as águas, pois contém todos os elementos da tabela periódica, e nas proporções que o nosso corpo necessita.  Que é o "batido detox" mais eficiente que há. E que o medo dos contaminantes que lá andem, é infundado, pois a água do mar é tão salgada que mata tudo... 

Cheguei mesmo a experimentar, um pouco porque fui quase obrigada a isso. Mas com espírito de mente aberta, até porque no Verão, quer queira quer não, acabo por beber imensa água na praia... Bem, bebi e não aconteceu nada... Primeiro achei o gosto muito salgado e diluí a água do mar com água normal. Uma porção de água do mar, para três de água normal. Esta, dizem, é a proporção do nosso plasma sanguíneo. Assim, é como se estivesse a beber plasma... Não foi muito agradável. Mas a verdade é que dava por mim a beber mais e mais golinhos... Apesar do sabor, o meu corpo pedia mais! 

Voltei a experimentar uma segunda vez, desta vez diretamente do mar, e sem que ninguém me dissesse para o fazer. O resultado foi que gostei bastante! A temperatura da água gelada disfarçava o sabor salgado e refrescava-me! A sensação foi bastante agradável. O que me deu nesse dia para beber água do mar? Bem, foi um dia em que me desequilibrei emocionalmente. Derramei lágrimas o dia todo e ocorreu-me ir repô-las... Depois o mar e a praia sempre me fizeram sentir em casa. Assim lá fui. Lavei a cara, o espírito e o interior do meu corpo ao bebê-la. Bebi muita água do mar nessa noite! O meu corpo pedia-me mais e mais... A verdade é que o meu estado emocional mudou, como que por magia. Sentia-me novamente equilibrada. Para ajudar, estava uma noite fantástica! Bem, na verdade estava a ameaçar chover, estava frio e vento... Mas a lua, o mar e o isolamento fez-me esquecer disso. Afinal estava tudo bem. De volta a mim, ao meu equilíbrio, despedi-me do mar com um até já.

Passaram-se várias semanas, meses, até que voltasse a beber água do mar. Essa noite ficou apenas na memória como algo meio surreal... Uma memória que facilmente poderia ter sido um sonho. 

A terceira vez que bebi água do mar, foi novamente por incentivo de outrem. Nesse dia estava cheia de sono e cansada...Tinha dormido poucas horas e depois de um almoço grande e com vinho tinto à mistura, o café já não surtia o efeito desejado...  É então que me oferecem água do mar, fresquinha e "acabadinha de pescar"... Bebi-a, dessa vez já sem estranhar o gosto e, passado uns minutos... Surpresa, surpresa... Senti-me desperta! Achei fantástico! A água do mar fez aquilo que o café não tinha conseguido! 

Existem livros, vídeos no youtube, artigos na internet e até mesmo alguns médicos (assim mais "fora da caixa") que aconselham 250-500ml de água do mar por dia! Mas para mim, nada como  experimentar. E como sou teimosa, nada como experimentar várias vezes! 

Assim, esta semana decidi que iria implementar essa mudança na minha vida. Sou ser adepta dessa ideia maluca! Até porque esta foto me diz que eu, instintivamente, sempre soube que assim era. A água de onde surgiu a vida, pode dar-nos ainda hoje, vitalidade e equilíbrio.


Friday, 10 February 2017

O Desconhecido / The Unknown

O Desconhecido move-me.
The Unknown moves me.

Primeiro foi a escolha entre a vida e a morte. A morte era certa, a vida não. Por isso, eu escolhi a vida.
First it was the choice between life and death. Death was certain, life was not. Thus, I chose life.

Depois foi a escolha entre permanecer na escuridão, "no fundo do poço", e re-erguer-me. A escuridão eu conhecia. Eu estava a viver "no fundo do poço". Por isso escolhi re-erguer-me.
Then it was the choice between staying in the darkness, "the bottom of the well", or stand back up again. The darkness I knew. I was living on "the bottom of the well". So I chose to stand up.

A seguir foi a escolha entre o amor e o medo. A escolha entre arriscar num amor impossível, ou permanecer onde estava, sem arriscar a dor. A segunda eu conhecia, por isso escolhi o amor.
Next came the choice between love and fear. A choice between betting on an impossible love, or stay put, without risking the pain. The latter I knew, so I chose love.

Recentemente foi uma escolha profissional. A escolha entre um caminho bem conhecido e teoricamente seguro, e um caminho ousado e pouco percorrido... Mais uma vez, escolhi o incerto. Escolhi a aventura.
Recently, came a professional choice. A choice between a well-known and theoretically safe path, and a bold, less-worn path... Once again, I chose the unknown. I chose the adventure.

Acredito que a vida é para ser vivida, que estamos aqui para termos o máximo de experiências possíveis. E é por isso que dada a escolha, segui sempre pelo caminho desconhecido.
I believe life is to be lived. That we are here to gather as much experience as we can. And that is why, given the choice, I always opt for the unknown.

A minha experiência, é que o desconhecido acaba por ser sempre melhor do que esperávamos.
My experience is that the unknown always ends up being better than expected.